Edição online quinzenal
 
Sexta-feira 1 de Março de 2024  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

VOTAR ONDE ME APETECER

25-08-2023 - Joaquim Jorge

Para o ano, vamos ter eleições europeias que vão decorrer entre 6 e 9 de Junho. Porém essa data é problemática pois coincide com a possibilidade de muitos portugueses tirarem uns dias de férias, tendo em conta que dia 10 de Junho é feriado nacional.

Está-se mesmo a ver que a abstenção que já era enorme nestaseleições vai bater recordes.

O Governo para obstar a esta previsão alarmante propôs que os eleitores podem votar em qualquer mesa e sem inscrição prévia.

Quem for de férias duvido muito que esteja a pensar em ir votar, ainda por cima não tendo um conhecimento apurado da zona onde se encontra e locais para ir votar. Mas, pode ser que resulte esta ideia de mobilidade total.

Não tenho dúvidas que o grande vencedor das eleições europeias vai ser a Abstenção. Votar onde me apetecer não resolve esta pinima.

Os políticos ao longo destes anos de democracia, e são muitos, em vez de perceberem porque os portugueses não votam, fazem pressão para que votem fazendo com que tenham um peso na consciência.

Os políticos sem votos são como um jardim sem flores, mas eles não se preocupam muito, desde que o jardim tenha alguma relva com buracos por todos os lados.

Dever-se-ia alterar a lei eleitoral em relação à legitimidade de uma eleição:eleição com abstenção superior a 50% não deveria ser possível. Já se verificapara os referendos que somente são vinculativos se votarem mais de 50%, também o deveria ser numa eleição legislativa, presidencial e autárquica.

Muita gente abstém-se porque está de costas voltadas para esta forma de fazer política. A abstenção é consciente e um voto de protesto. Em vez de insinuarem irresponsabilidade, seria melhor perceber porque milhares de portugueses estão-se borrifando para eleições. Este “apolitismo” é grave e desassossegador.

Um candidato não é um “vendedor de votos” é um ser igual a um votante que deve ter uma postura normal e natural.

A indiferença mata, quiçá a indiferença não mata um português que não vota, mas pode matar a democracia. Todavia a culpa é totalmente dos políticos.

A ideia que passa é dramática: “quero lá saber quem vence são todos iguais”. O argumento que”todos os políticos são corruptos e mentirosos”, ganhou força por culpa dos políticos. Não vale a pena estar com delongas os grandes culpados da abstenção são os políticos. Ponto!

A corrupção e casos pungentes na vida política portuguesa, em que se chega à conclusão que quase ninguém escapa, faz o resto deste alheamento e não se ir votar.

Uma vergonha que o nosso sistema esteja a implodir. Uma chaga que corrói a nossa democracia.

Vou deixar aqui duas ou três sugestões para fazer face à abstenção: ter mais um dia, para além do Domingo para se ir votar, por exemplo, um dia da semana ou sábado; poder votar-se pelo telemóvel, já se faz tantas coisas com o telemóvel ( pagamentos ao Estado, renovação de documentos, etc.) ; um maior número de mesas de voto para evitar filas intermináveis nos grandes centros urbanos.

Joaquim Jorge

Biólogo, fundador do Clube dos Pensadores

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Coordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome