Edição online quinzenal
 
Domingo 23 de Junho de 2024  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

COISAS ESTRANHAS

03-03-2023 - José Janeiro

O circo está montado, que entrem os palhaços, que têm um nome: POVO PORTUGUÊS. Na verdade, a parte mais difícil para escrever esta cronica foi selecionar as broncas e eleger as mais absurdas, a matéria diariamente é profícua:

Falha do governo paralisa julgamento de José Sócrates (in Expresso 24.02.2023), a falta de regulação da lei de sorteio de juízes pode levar á prescrição destes e outros julgamentos, o relógio está a contar e termina em 2024, para este em concreto.

Alexandra Reis pode ser reintegrada na TAP (in DN 28.02.2023), o acordo de saída foi assinado pelo Presidente do Conselho de Administração, Manuel Beja, um socialista por certo, e pela CEO, e não céu que era mais apropriado, dado o valor pago por todos nós pela incompetência, da tal menina com um tracinho no nome e do seu compincha presidente. Pelo caminho, tropeça-se no irmão do Selfies-PR, como “desenvolvedor” desta negociata. Estando os intervenientes principais identificados, temos depois o resto da pandilha no governo, os tais de consciência sempre tranquila. Ora a coisa teve na Inspecção Geral de Finanças um efeito boomerang e voltou para o principal interveniente governamental, o Ministro das Finanças, que tem que tomar uma decisão. Vamos lá comprar as pipocas e assistir ao filme, que isto promete.

Marcelo abre porta é demissão de Medina após irregularidade da TAP: “o senhor ministro das finanças poderá ponderar as consequências do relatório ( in CNN 25.02.2023), parecia que o selfie-man tinha aberto a porta á demissão de Medina e a queda do governo como ele em tempo anunciou que seria a consequência. Mas o cobarde, mais tarde veio dizer: TAP. Marcelo descarta demissão de Fernando Medina e diz que se referia “a consequências jurídicas e não politicas” (in Observador 27.02.2023). Tenho dificuldade em comentar a cobardia deste individuo. É ignóbil a sensação de catavento de um individuo que se diz Presidente da Republica. Sinceramente mete asco.

Arrendamento compulsivo na habitação gera reacção nas redes sociais (in Jornal de Negocios 22.02.2023), a aberração desenhada pela novel ministra e filha do falso advogado, que desenhou uma aberração: Programa Mais habitação, só para mostrar trabalho, levou a duas reacções: a inconstitucionalidade da medida e á demonstração nas redes sociais da incompetência e degradação do património do estado desocupado, abandonado e que serviria os propósitos do “Mais habitação”. Mas é mais fácil ser néscia e incompetente do que fazer um plano de recuperação desse património para não continuar no estado vergonhoso em que está e definitivamente resolver o problema. Se a idiota tomasse antes esta decisão rapidamente a maior oferta imobiliária iria produzir efeitos na redução de rendas, mas isso dá cá uma trabalhera comadri e assim é mais fácil.

MNE anuncia que Lula da Silva discursa no 25 de Abril. Santos Silva lembra que é ele que decide. (in Publico 23.02.2023), nova corrida, nova viagem, ou dito de outra forma, mais uma idiotice. A idiotice é dupla, neste caso, estes tipos do governo estão-se a esmerar, até já fazem borrada em dobro. Por um lado, a decisão desta pretensão do tal ministro, com carta de condução falsificada, não é dele, mas do parlamento, e por outro lado, o absurdo do discurso de um Presidente de um estado estrangeiro no parlamento nas comemorações do 25 de Abril é acima de tudo um disparate e parece servir para branquear, mais do que suspeito de corrupção e por arrasto do amigo do Socrates. Mas reflectindo de outra forma, talvez seja acima de tudo uma estratégia rebuscada, para fazer esquecer da memória coletiva os outros problemas que vão aparecendo. Por outro lado, ainda acredito que é uma grande entaladela ao PSD para entender se sempre alinha com a direita e nomeadamente o CHEGA, que está totalmente contra e é o mais activo nessa decisão. Aguardemos os próximos episódios.

José Gomes Ferreira: a inflacção dos produtos em Portugal é o dobro de Espanha (in comentário SIC 28.02.2023), partindo do pressuposto que Espanha tem condições semelhantes às de Portugal, o crescimento dos produtos alimentares, por cá é de 20,1%, o dobro de Espanha. São dois países com governos socialistas, ainda que do lado de lá da fronteira se tenham feito alguns disparates, houve como sabemos outras decisões económicas que estão a produzir alguns efeitos: descida do IVA para zero em produtos alimentares básicos, é uma delas. Contam-nos outras histórias da carochinha: que Portugal é um país periférico e que os custos associados ao transporte de mercadorias, tem grande influência, sim pode ser, mas então porquê a diferença de carga fiscal nos combustíveis nos dois lados da fronteira? Apenas sacanice do governo claro. Que coitados de nós, temos o problema do fado e da miserabilidade enraizada na sociedade, desde o longínquo Estado Novo. A serio? Ainda essa desculpa de um regime enterrado há quase 50 anos? Não é antes a profunda incompetência dos eleitos, porque não gostamos muito de mudança mas de historias para embalar, situação que se reflete em permanência nas urnas.

Não há explicação para o povo Português continuar nas sondagens a atribuir ao actual governo um empate com o segundo “classificado”, mesmo depois de broncas diárias que nos assolam ao longo dos meses, numa constante que nos leva a acreditar que este povo adora levar onde o sol não entra.

Até á próxima

José Janeiro

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Coordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome