Edição online quinzenal
 
Domingo 23 de Junho de 2024  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

A FALTA DE NOÇÃO É IMPRESSIONANTE!

17-02-2023 - José Janeiro

Três acontecimentos recentes demonstram a extrema falta de noção de uma classe social que não consegue olhar para outro órgão humano, que não o seu próprio umbigo. Se usassem o cérebro talvez ficasse tudo melhor.

1. “Portugueses continuam com um padrão de consumo elevado e a jantar fora á 6ª feira”, esta afirmação foi produzida pelo Presidente do Santander-Totta, depois de apresentar um lucro recorde de 568,5 milhões de euros em 2022, que duplicou face a 2021. Se não fosse absurda tal afirmação seria no mínimo imbecil, por diversas razões:

- aqueles que ainda conseguem jantar fora, em qualquer dia da semana, são os mesmos que sustentam, com comissões absurdas e com a dificuldade da banca em geral e no Santander em particular, para a renegociação dos seus créditos, e que por aí, lhes pagam o chorudo ordenado de mais de 1,5 milhões de euros segundo dados de 2021;

- aqueles que ainda conseguem jantar fora, em qualquer dia da semana, são os mesmos que salvaram a banca com 17 mil milhões de euros, devido á ganancia e irresponsabilidade dos gestores bancários pagos a peso de ouro;

- aqueles que ainda conseguem jantar fora, em qualquer dia da semana, são os mesmos que fazem mover a economia e os pequenos negócios com o seu consumo e jantares, que depois pagam novas comissões e devolvem eventuais empréstimos concedidos pela banca á economia;

- aqueles que ainda conseguem jantar fora, em qualquer dia da semana, são os mesmos que, por não verem a sua prestação da casa renegociada, lhe proporcionaram lucros estratosféricos ao seu banco. Se tivessem apoiado em apenas 89 euros os empréstimos de habitação dos seus clientes teriam um “misero” lucro de 284,2 milhões de euros, e todos seriamos mais humanos e o seu premio ainda seria gigante;

Sim senhor-idiota, deveria estar caladinho e tentar passar despercebido pelo roubo descarado que faz aos seus clientes.

2. A GALP apresentou lucros de 881 milhões em 2022, para entendermos melhor, face a 2021 cresceram 206%, sim, mais que duplicaram. Ah valentes é isso mesmo! Pois bem, sempre falámos dos impostos que representam mais de 60% num litro de combustíveis, e é verdade, mas as gasolineiras, gostam de contar umas historias da carochinha sobre a formação de lucros em outros negócios, que não, no “pitroil” que usamos nos popós.

Estas historias não nos convencem, porque segundo os relatórios de contas, ali, se demonstra um crescimento na margem de refinação de mais de 600%, nos dois últimos anos, indiciando um movimento especulativo nos preços, ou então, em vez de “pitroil” produzem cocaína e nós não sabemos.

3. Mas se já tínhamos estes dois exemplos para nos achincalharmos, ainda vieram aqueles burocratas da comunidade europeia, culpar o aumento de salários como sendo o responsável pelo atraso no alívio da inflacção em Portugal.

Enquanto pessoa preocupada com estas coisas, ainda me lembro do efeito inflacionista do passado e do que os italianos chamavam “scala mobile” entre 1977 e finais de 1990, devido ao ajustamento automático dos salários, com a inflacção, sim, isso provoca demasiados problemas á economia, mas a principal razão actual não se compara, em nada, com a época em que tal aconteceu.

Hoje, a onda inflacionista, dizem ter outras razões, que a razão desconhece, a guerra na Ucrânia, a tal pandemia, e … a especulação, ah espera não era para dizer, aproveitando-se argumentos pouco claros e de justificação duvidosa para aumentar preços.

Na verdade, a massa salarial, a fazer querer no INE, tem um impacto inferior a 1% na formação do preço final dos bens, sendo que os grandes responsáveis por esse crescimento, são os custos de energia, os da comunicação e outros que estão influenciados pelo aumento fictício de preços e de forma pouco clara.

Mas a par destes dados, outros merecem atenção: o salario medio em Portugal é o décimo mais baixo da união europeia e têm-se degradado numa “scala mobile” decrescente, logo a culpa, senhores-de-cu-lavado-com-agua-das-malvas, não é dos salários, mas das políticas económicas deste governo de idiotas que foram eleitos pelos papalvos dos portugueses.

E sim, na verdade, os Portugueses, ainda conseguem fazer algumas refeições, fora ou dentro de casa, ainda que 20% da população nacional já esteja no limiar, ou já, na pobreza… e a culpa, diz, este conjunto de idiotas, é dos salários e não da ganancia dos que não olham para outro órgão humano que não o seu próprio umbigo e que não olham a meios para atingirem os seus fins.

O outro diz: Habituem-se e eu digo: Revoltem-se!

Até á próxima.

José Janeiro

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Coordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome