Edição online quinzenal
 
Quarta-feira 29 de Junho de 2022  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Que raio de União é esta…

18-03-2022 - Francisco Pereira

A crise está galopante na Europa mercê da homicida voracidade do novo “czar” das Rússias. Não vou aqui discutir geoestratégia, nem geopolítica, até porque como sou apenas um labrego provinciano não tenho qualidade suficiente para tal, pessoas há por aí melhor qualificadas, ouso porém trazer-vos apenas as minhas opiniões sobre o miserando tema, porque essas posso te-las, isto apesar de verificar que ao que parece apenas os seres iluminados “os dotores” podem opinar sobre estes temas elevados, nós os pategos, não podemos ter opinião, mas como estou nas tintas para essa rapaziada, eu tenho opinião, penso pela minha cabeça, certa ou errada é a minha visão e disso nunca abdicarei.

Introito feito passemos ao que realmente aqui nos traz, o senhor que por ora manda no Kremlin, é um triste produto do século passado, o mais recente de uma longa sucessão de grandes psicopatas homicidas que aquele grande território viu nascer, de Ivan IV dito o Terrível, a Lenine, a Estaline ou a monstros menos conhecidos como Gudunov, Rasputine ou Beria, é bastante profícua a lista de seres tresloucados que pela Rússia tem exercido o Poder, alias o medo quase patológico que os russos aparentam ter pelo “Ocidente” não faz sentido algum, para não irmos mais atrás, nos últimos cento e poucos anos, o pior e mais homicida inimigo dos russos foram os seus dirigentes, ninguém matou mais russos do que os seus dirigentes psicopatas, entre purgas, guerras, deportações perseguições e assassinatos políticos, nenhum inimigo externo, mesmo se combinados matou tantos russos como os seus próprios governantes.

Dito isto, é conveniente informar-vos que não sendo eu psicólogo e ou psiquiatra, quando qualifico algum destes seres como psicopatas homicidas o faço do ponto de vista de um leigo, apesar de conhecer a destrinça entre psicopata e sociopata, acrescento que é minha convicção de que o actual senhor do Kremlin revela igualmente traços de ser um psicopata homicida, quanto a isso não tenho a menor dúvida.

Nada daquilo a que assistimos hoje na Ucrânia é novidade. Olhemos para a região do Cáucaso onde desde os anos 90 do século passado, quando algumas das antigas republicas da antiga URSS se autonomizaram, atiçando conflitos, onde a Rússia tem engrandecido a sua experiência em “guerras sujas”, relembremos a Inguchétia, a Ossétia, a invasão à Chéchenia, ao Daguestão, à Georgia, ao conflito da zona separatista da Transnistria, da ocupação da Crimeia culminando em 2014 com a invasão do território da Ucrânia, invasão essa que hoje a Rússia teima em concluir.

Para lá disso, convêm destacar o envolvimento das empresas de segurança privadas russas, em vários países africanos, cerca de 17 1, no Médio Oriente em países como o Iemen, a Síria e o Iraque, no continente americano na Venezuela, na Ásia em países como a Indonésia e o Sri Lanka, nesses locais onde operam essas empresas de segurança ditas “privadas”, as PMC (Private Military Contractor), estão projectados os interesses estratégico e político da Rússia, é verdade que este tipo de empresas existe em vários outros países, mas em nenhum deles o envolvimento e apoio directo do Governo do país é tão declarado e importante como no caso das PMC´s russas. É muita a experiência militar e influência directas que a Rússia assim colhe e exerce nos locais onde estão implantadas as suas PMC’s, conhecem-se cerca de 11 destas empresas conotadas com a Rússia sendo o Grupo Wagner 2 a mais mediática dessas empresas.

Para além desta realidade mais obscura, o que de mais patente fica desta crise, espoletada pela invasão homicida russa perpetrada contra um país soberano, é a absoluta fraqueza da NATO, à data que escrevo, espera-se uma reunião de ministros da defesa, veremos o que daí sairá, tão ou mais grave que essa titubeante e pífia reacção, a invasão da Ucrânia marca, é minha convicção, a morte da União Europeia, ficou perfeitamente visível que a UE é uma farsa, uma opereta bufa dirigida pela Alemanha com a França a tentar, por-se em bicos de pés para aparecer na fotografia, agora que o Reino Unido se colocou à margem, a UE está reduzida a isto, uma Alemanha de joelhos, presa pelos testículos pela garra do gás russo e uma França minada e corroída, em que um pateta alegre tenta capitalizar prestigio político para as eleições que se vão disputar em terras gaulesas, o que fica porém é a imagem de uma UE presunçosa, incapaz de reagir perante ameaças, subserviente, capturada por interesses externos que a minam, cheia de burocracias, projectos e projectinhos além de outras inenarráveis futilidades, que não serve para grande coisa, incapaz até de responder a um cataclismo como o que estamos a viver.

O mais da UE, se excluirmos as “potencias” já citadas, são uma caterva de pardieiros patéticos, com o clube da pedincha em destaque, clube cujo membro cimeiro é Portugal, a republica da subsídio dependência. Ora com este tão interessante quadro, não é de espantar que o senhor que domina o Kremlin, tenha percebido que nada tem a temer desta trupe de robertos, pior, a atitude fracota desta coisa chamada União Europeia abriu um precedente terrível, que farão os países desta tal “União” se amanhã a Rússia quiser anexar a Transnistria, desestabilizar os Balcãs, que já fervem nalguns locais ou virar-se para os países do Báltico, que fará então a UE?

E se no confronto com Putin a UE falha completamente a sua prestação na tão necessária ajuda aos refugiados é ainda pior, a ignominiosa invasão dura há 20 e poucos dias, a UE continua impávida e serena, a ajuda aos refugiados está a ser feita por voluntários e essencialmente pela Polónia, a quem tem cabido o maior esforço, à Roménia, à Moldávia e à Hungria, para além de iniciativas da sociedade civil, um programa de auxilio estruturado da pomposa UE como seria de esperar por esta altura continua sem se materializar no terreno onde tanta falta faz, dado que o esforço dos países citados e a boa vontade dos voluntários não poderá durar sempre, no entanto da UE nada de novo.

Em relação ao conflito, não vale a pena suspirar pelos Estados Unidos, internamente a situação não está famosa, o senhor Biden hesita, a economia está periclitante, por todo o lado paira a sombra do Celeste Império, o velhão dragão alado que lança o seu manto de névoa, para obscurecer ainda mais as já de si difíceis relações entre estados, controlam muita dívida pública de muitas nações incluindo os USA, possuem uma agenda própria, que os impele a tomarem decisões que parecem completamente ininteligíveis.

A juntar a tudo isto não esqueçam a pandemia, o vírus não passou por um qualquer milagre, à data que escrevinho estas linhas na China há cidades de milhões de novo em completo confinamento, não esqueçam os problemas climáticos e as convulsões que estão a provocar, convêm não esquecermos que tudo isso continua lá fora, na penumbra à nossa espera, e como se todas essas promessas de desgraça não fossem suficientes, ainda aparecem psicopatas homicidas com problemas de infância mal resolvidos, pobre Mundo este, pobre Ucrânia, não esqueçamos porém que a Rússia e o povo russo são uma realidade diferente da elite podre, psicopata e mafiosa que neste momento detém o poder. Haja esperança!

Francisco Pereira

1 https://russianpmcs.csis.org/

2 https://newlinesmag.com/reportage/the-wagner-group-files/

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome