Edição online quinzenal
 
Quarta-feira 29 de Junho de 2022  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

A confusão que isto me faz…

04-02-2022 - Francisco Pereira

Estava aqui a remoer com os meus botões sobre estas coisas dos negacionistas, dos anti vacinas e de rapaziada análoga, quanto mais observo os seus protestos mais confuso fico, ali há de tudo, teorias da conspiração mais ou menos parolas, umas com algum fundamento aberto a discussão, outras completamente sem nexo e porque não dizê-lo, completamente estúpidas, curiosamente são as teorias mais estúpidas e mais fora da razoabilidade que parecem cativar o maior número destes seres, o mais doloroso é que todos nós conhecemos gente assim, gente aparentemente mentalmente saudável e possuidora de um intelecto capaz mas que por um qualquer motivo e ou devido a um qualquer processo parece ter deixado eclipsar a razão para sucumbirem a esta outra pandemia, que é a falta de tino.

Pessoalmente acredito que os negacionistas, os anti vacinas e rapaziada análoga, são pessoas doentes, pessoas que necessitam de ajuda, pessoas dignas do nosso dó e da mais profunda compreensão, devíamos estar a tentar criar redes de ajuda para estas pobres e frágeis criaturas, centros de desintoxicação que os ajudassem a perceber o Mundo real em que estão tentando desmistificar e desmontar as quimeras surreais e os universos paralelos em que vivem, devíamos estar a disponibilizar linhas de ajuda com psicólogos, psiquiatras e demais terapeutas que pudessem de forma profissional complementar as ajudas que nós os cidadãos normais pudéssemos fornecer, com centros comunitários de ajuda, com estratégias de proximidade que fizessem esta pobre gente sentir-se amada e respeitada, pois é minha profunda convicção que o grande problema destas pobres criaturas são as carências afectivas que sofreram durante toda a sua vida, quiçá até abusos e maus tratos psicológicos que os tornaram em criaturas azedas, propensas a tornarem-se presas de esquemas surreais e realidades ilusórias que os enredam em esquemas mirabolantes e desarranjados, vamos pois todos em conjunto contribuir para a solução, pedindo aos governos que ao invés de punir e maltratar estes pobres diabos dignos de pena, os possamos antes curar, tratando-os como seres doentes e necessitados de ajuda.

Confrangedor é porém ver, que muitas destas criaturas, negacionistas, anti vacinas e rapaziada análoga, se assumem como fortes e viris defensores da Liberdade, dos valores, o que quer que sejam esses valores, bem como da possibilidade de optar.

Como eu gostaria de ver estes homens fortes, muito machos, mais estas mulheres fortes e determinadas a empenharem a sua determinação, a sua capacidade de protesto e o seu ardor contra causas que verdadeiramente atentem contra a Liberdade, os valores e o livre arbítrio, por exemplo contra a fome que afecta ⅓ da Humanidade, contra a miséria, conta a exploração e abuso sexual de crianças e mulheres, contra o tráfico de droga, contra os regimes políticos que utilizam a opressão sejam eles de Esquerda e ou de Direita, contra a corrupção, contra a discriminação das pessoas por causa da sua cor, etnia, sexo e ou credo, contra todas as formas de tirania e ditadura, contra os atentados ao ambiente, contra a cupidez consumista e destruição do único planeta que temos, contra as redes criminosas, contra o esclavagismo dos mercados e das economias modernas, contra a cada vez maior escassez de água potável, Portugal por exemplo está em seca preocupante, enfim contra causas que efectivamente façam perigar a nossa Liberdade, direitos e garantias, mas não, ao invés disso estes homens fortes másculos viris e assim, bem com as mulheres fortes e determinadas, resolveram gastar a sua energia e capacidades a lutar contra uma picadela, uma agulhita e contra um bocado de trapo preso a dois elásticos, sem dúvida que esta sim é uma luta digna de tão valentes e poderosos seres, qual combater a corrupção, o nepotismo as oligarquias, qual combater a fome e a miséria, dar cabo de uma agulhita e de um bocado de trapo é muita mais relevante para a Humanidade, coitados, não os culpem porém, culpem antes a doença de que padecem essa sim a verdadeira pandemia que lhes tolda a razão, que os torna em trasgos egocêntricos e narcisistas, que pouco enxergam para alem do seu umbigo, mas não os julguem mal, é a doença de que padecem que os torna assim.

Acaso tenham amigos que apresentem comportamentos negacionistas ou anti vacinas, tentem compreende-los, as pobres almas estão doentes, precisam da vossa ajuda não do vosso ódio, aliás ódio é coisa que infelizmente eles já tem de sobra, não precisam de mais, o que eles necessitam é de serem acarinhados e compreendidos como os pobre de espírito doente que verdadeiramente são, por isso sejam bondosos, se os queiram verdadeiramente ajudar, ofereçam-lhes por exemplo uma viagem até à Ucrânia para irem lutar contra a tirania, para Cuba para lutarem pela Liberdade ou para o Afeganistão para irem lutar contra a opressão, esses sim, seriam bons locais para libertarem toda a sua energia e ardor combativo, tempo bem melhor empregue do que a berrar a perderem tempo e a questionar uma singela vacina e um bocado de trapo preso por elásticos, a confusão que isto tudo me faz...

Francisco Prereira

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome