Edição online quinzenal
 
Quarta-feira 29 de Junho de 2022  
Notícias e Opinião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Défice de atenção…

08-10-2021 - Francisco Pereira

Portugal é desde há uns anos a esta parte, assolado por uma maleita deveras perniciosa, que afecta transversalmente a nossa sociedade sendo que alguns dos seus componentes dada a sua propensão para o elitismo sofrem mais ainda dessa atroz patologia de cariz social, que chamo “Défice de atenção aos outros”, uma horrível doença que se manifesta por um exacerbado egocentrismo narcisista que deixa todos o que desse défice padecem incapazes de se preocuparem com o que quer que seja para além do seu umbigo.

O que parece ser uma disfunção inocente, é na verdade uma verdadeira praga, bem mais verrumosa e perturbadora que a actual pandemia em que vivemos, para nós portugueses, o “Défice de atenção aos outros” é uma pandemia dentro da outra pandemia, este défice revela-se em simples pormenores comezinhos que aparentando singeleza e pouca importância são bem reveladores desta grave moléstia, que contribui definitivamente para o sofrimento da populaça desta terra esquecida, este verdadeiro “anus mundi” como diriam os velhos romanos.

São imensos os detalhes, que nos revelam que este padecimento afecta verdadeiramente o poveco desta terra, deixo-vos alguns exemplos simples que são sintomáticos desta praga de egocentrismo que varre esta nossa sociedade de gentalha torpe. Por exemplo, carros que circulam a qualquer hora, seja dia e ou noite com a música em altos berros, se durante o dia já causa incómodo, além de ser uma demonstração de labreguismo, durante a noite a desoras, quando as pessoas tentam descansar, é absolutamente criminoso, mas há gente que faz gáudio em manifestar este tipo de comportamentos, falar aos berros, fazer festas aos berros até altas horas, demonstrando esta gente um atroz “Défice de atenção aos outros” uma completa falta de empatia para com os seus concidadãos, uma arrepiante falta de civismo além de um grau de psicopatia antisocial deveras preocupante, infelizmente gentalha desta abunda por aí.

Outro exemplo, se o caro amigo, que neste momento está a ler estas linhas, é daqueles que estaciona o carro rente ao lancil do passeio e não recolhe o espelho do lado do passeio mas recolhe o espelho do lado da via de circulação, dificultando a utilização do passeio por parte dos peões, você sofre igualmente de um “Défice de atenção aos outros”, é vossa excelência detentor e ou detentora de um umbiguismo egoísta verdadeiramente exacerbado, podeis até dizer que exagero, infelizmente não, estes pequenos detalhes revelam um quadro maior de egocentrismo, sendo certo que essa pessoa revelará no seu quotidiano um comportamento ególatra, de falta de civismo, de respeito pelos outros para além da óbvia boçalidade comportamental que a grande maioria desta trupe demonstra.

Mais um exemplo de individualismo mesquinho, muitas vezes apelidado de “chico espertismo” é o passar à frente nas bichas do que quer que seja, nos serviços públicos, nos supermercados, seja lá onde for é mais um exemplo de seres ensimesmados, gente que cultiva uma abordagem incivilizada à vida em sociedade, neste quadro podemos igualmente referir à laia de complemento para comportamentos boçais, reveladores da insensibilidade egocentrada desta gentalha o estacionamento nos lugares reservados, facto que é comum observar em muitos locais nomeadamente e particularmente observável nos parques de estacionamento dos hipermercados, existindo até uma determinada “classe” de gentalha, arrogante, racista e detentora de marcado “Défice de atenção aos outros”que faz alarde em demonstrar este tipo de comportamentos incivilizados.

Muitos outros exemplos poderíamos ter trazido aqui, a exiguidade de espaço inviabiliza porém essa pretensão, é atroz verificar que somos uma sociedade cada vez mais virada do avesso, cheia de gentalha canhestra umbiguista, uma sociedade feita de sociopatas egocentrados e narcisistas, que pouco mais alcançam que a satisfação das suas necessidades, que a pouco mais almejam que à satisfação dos seus interesses nem que para isso tenham de pisar, atropelar e trucidar quem se lhes apareça pela frente, demonstrações pueris desta síndrome, deste “Défice de atenção aos outros”, vemo-las diariamente, não que não tenhamos todos de quando em vez um qualquer comportamento mais egoísta, isso é até normal dentro dos padrões comportamentais humanos, infelizmente aquilo a que assistimos extravasa largamente qualquer “normalidade” que se queira atribuir a este tipo de comportamento.

Temos assim que este “Défice de atenção aos outros” é uma das nossas maiores deficiências enquanto sociedade, esta nossa capacidade de não perceber o bem comum como uma mais valia, de não entender o respeito pelos outros e o civismo como uma alavanca para um salto civilizacional que importaria dar, é sintomático do falhanço a que estamos votados enquanto sociedade, persistindo este “Défice de atenção aos outros” como uma das nossas mais miseráveis características enquanto povo.

Francisco Pereira

 

 

 Voltar

Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Cordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome