Edição online quinzenal
 
Domingo 23 de Junho de 2024  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Países europeus investiram 67 mil milhões de euros em proteção ambiental em 2023

07-06-2024 - Ana Batalha Oliveira

Mais de metade desse montante foi aplicado pelas empresas, com a proteção ambiental a representar 1,7% do investimento total do setor empresarial e 4,5% dos governos.

Os países da União Europeia  investiram 67 mil milhões de euros em 2023 em ativos destinados a serviços de proteção ambiental, estima o Eurostat esta quarta-feira, em que se assinala o Dia Mundial do Ambiente.

Exemplos destes ativos são as estações de tratamento de águas residuais, veículos de transporte de resíduos, terrenos para criação de reservas naturais e equipamentos de produção mais ecológicos, segundo o gabinete de estatística europeu.

Mais de metade do montante foi aplicado pelas empresas, tanto aquelas cujo negócio se baseia em matérias ambientais (como as empresas de resíduos) como outras que estão a melhorar o respetivo processo de produção. As empresas investiram 40 mil milhões de euros, cerca de 60% do total, tendo o restante sido investido por organizações sem fins lucrativos e pelos Estados.

Segundo o Eurostat, 1,7% de todo o investimento feito pelas empresas europeias em 2023 destinou-se à proteção ambiental. Em simultâneo, 4,5% de todo o investimento feito pelos governos foi dedicado a esta matéria.

As três áreas que captaram mais investimento, no universo da proteção ambiental, foi o das águas residuais (41,6% do total), dos resíduos (26,6%) e finalmente ar e clima (10,4%).

Uso da energia cai para mínimo desde 2016

Em 2022, o consumo de energia na União Europeia caiu para o patamar mais baixo desde 2016, revela também o Eurostat esta quarta-feira.

Esse ano foi marcado por uma crise energética que fez disparar o preço da eletricidade e do gás natural no continente, desincentivando o seu uso. Nas casas europeias, o gás natural representou cerca de 30% da energia consumida, a eletricidade 25,1% e as energias renováveis e biocombustíveis 22,6%.

A energia foi usada sobretudo para aquecer as casas (63,5% do consumo) e para aquecer água (14,9%). Luz e eletricidade para alimentar outros equipamentos estão associados apenas a 13,9% do consumo.

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Coordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome