Edição online quinzenal
 
Terça-feira 28 de Maio de 2024  
Notícias e Opnião do Concelho de Almeirim de Portugal e do Mundo
 

Macron classifica limite de dois mandatos para presidência francesa como idiotice sem nexo

08-09-2023 - Clea Caulcutt

O presidente francês expressa a sua frustração numa maratona de conversações de 12 horas com líderes da oposição.

O presidente francês, Emmanuel Macron, classificou o limite constitucional de dois mandatos, que significa que ele deve renunciar em 2027, como uma “idiotice sem nexo ” em comentários em uma reunião com líderes partidários na quarta-feira.

Segundo o líder da extrema-esquerda Jean-Luc Mélenchon, Macron disse que era “uma situação terrível não poder ser reeleito”, palavras que também foram confirmadas à agência de notícias AFP por dois participantes.

Em França, os presidentes não podem ser eleitos para mais de dois mandatos de cinco anos, o que significa que Macron deverá tornar-se no ex-presidente mais jovem do país, com apenas 49 anos. e os apoiantes começam a olhar para um futuro sem ele no comando.

Macron teria expressado a sua frustração com as regras da França numa reunião que convocou com líderes partidários de todo o espectro político para discutir possíveis áreas políticas nas quais poderiam trabalhar. Actualmente, o governo francês enfrenta frequentemente um parlamento paralisado porque os aliados de Macron não têm maioria na Assembleia Nacional.

O presidente francês e os líderes partidários passaram 12 horas em conversações na quarta-feira, sem acesso aos seus telefones, para discutir uma série de tópicos, incluindo a Ucrânia, a inflação, o poder de compra e a reforma institucional.

O presidente estaria respondendo a uma proposta do líder de extrema direita Jordan Bardella, que sugeria que a França mudasse para um mandato presidencial único de sete anos.

Esta não é a primeira vez que um membro do campo de Macron expressa frustração com o limite de dois mandatos. Em Junho, o antigo presidente do parlamento, Richard Ferrand, disse  que era contra as regras porque limitam “a expressão da vontade popular”. Os seus comentários foram criticados tanto pela direita como pela esquerda, com alguns acusando o campo presidencial de se dirigir ao autoritarismo.

O palácio presidencial francês recusou-se a comentar as observações de Macron.

 

Voltar 


Subscreva a nossa News Letter
CONTACTOS
COLABORADORES
 
Eduardo Milheiro
Coordenador
Marta Milheiro
   
© O Notícias de Almeirim : All rights reserved - Site optimizado para 1024x768 e Internet Explorer 5.0 ou superior e Google Chrome